História do Município.3

Atualizado: Nov 22

MUCUGÊ



Mucugê, uma das mais antigas cidades da Chapada Diamantina (foi fundada no século XVIII), foi primeira localidade baiana onde foram encontrados diamantes de real valor. A descoberta das jazidas, ocorrida em 1844, foi feita por um garimpeiro conhecido como Cazuza do Prado que encontrou as primeiras pepitas no cascalho do rio Mucugê. Após a revelação da descoberta, houve uma corrida desenfreada de milhares de pessoas em busca do sonho da riqueza rápida. Em 1848, já havia no local uma população de mais 30.000 habitantes (o dobro dos 15.000 habitantes atuais). O segredo da nova riqueza só foi revelado quando um dos participantes da corrida diamantífera, ao tentar vender uma pedra, foi acusado do assassinato de um minerador e acabou obrigado a revelar onde a havia encontrado.

A partir de 1871, a importância econômica da vila começou a decair – como aconteceu com outros centros diamantíferos – devido à concorrência dos diamantes da África do Sul. Com o declínio da extração de diamantes, desenvolveram-se as lavouras de cana, cereais, algodão e café, na margem direita do rio de Contas. Na margem direita, surgiram fazendas de criação de gado. Uma nova fonte de recursos para a população foi a coleta e exportação de sempre-viva, flor típica da região e muito valorizada no mercado, exportada em grandes quantidades para Europa como artigo de decoração.


Principais características do Ciclo do Diamante:

- A exploração e comercialização dos diamantes eram controladas por Portugal. A metrópole fiscalizava com o intuito de arrecadar impostos sobre esta lucrativa atividade econômica. Para aumentar o controle, a coroa portuguesa criou o Distrito Diamantino e a Intendência dos Diamantes. Esta última tinha como objetivo controlar e regularizar a distribuição de terras, com minas de diamantes, e cobrar os impostos.

- Grande parte da mineração de diamantes ocorreu no arraial de Tejuco (atual Diamantina) e na Comarca de Serro Frio (norte de Minas Gerais)

- A atividade mineradora de diamantes fez surgir várias vilas e aumentou a população das cidades próximas às áreas diamantíferas. A economia nestas cidades sofreu grandes mudanças, intensificando o fluxo de serviços.

- No garimpo de diamantes foi utilizada, principalmente, a mão de obra escrava de origem africana. Os escravos eram alugados pela coroa portuguesa aos donos de minas, atividade que também trazia grandes lucros para Portugal.

- Alguns donos de minas de diamantes se tornaram extremamente ricos neste período. Entre estas pessoas podemos citar o dono de minas João Fernandes de Oliveira.


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo